CRMV - MT

Não é só da casa que ele gosta; veja 9 dicas para deixar seu gato mais feliz

Muita gente acha que os gatos se apegam apenas à casa. Mas não é bem assim, eles precisam de muitos cuidados; veja as dicas

kitty

Foto: Paul/ Unsplash/ Domínio Público

Existe um mito de que o gato, para ser feliz, precisa apenas comer, dormir e eventualmente brincar com uma caixa de papelão. No entanto, de acordo com a médica veterinária comportamentalista Larissa Rüncos, a felicidade dos bichanos está ligada a diversos fatores que envolvem desde necessidades básicas, como alimentação, até a compreensão de comportamentos inerentes a eles, como escalar e arranhar.

Larissa, que trabalha na Ethos Comportamento Animal e já ministrou workshops sobre como criar gatos felizes, enumera a seguir alguns dos fatores que podem influenciar o bem-estar dos animais. Confira:

1. Tente variar a dieta
O costume é oferecer sempre a mesma ração, mas os gatos gostam de uma alimentação mais variada. Uma saída é oferecer ração seca e úmida, o que também ajuda a hidratá-los. Na natureza, eles seriam obrigados a trabalhar pelo alimento, então é importante introduzir desafios ou obstáculos para que eles possam se alimentar. Há vários brinquedos disponíveis no mercado e isso aumenta muito a qualidade de vida do gato.

2. Faça o manejo adequado da caixa de areia
Gatos enterram seus dejetos. Para isso, eles precisam de um substrato macio na caixa de areia. O ideal é algo o mais parecido possível com areia de construção ou barro. Eles não gostam nem de sílica, nem de madeira. O número de caixas deve ser equivalente ao número de gatos mais um e as caixas precisam ter pelo menos uma vez e meia o tamanho do animal. Elas devem ser posicionadas em pontos tranquilos da casa e distantes da comida, da água e dos locais de descanso.

3. Tenha uma fonte de água
Por causa do formato de sua língua, o gato não tem facilidade para tomar água de um pote. Para que ele não passe sede ou desidrate, é importante ter uma fonte de água em casa. Gato que não tem fonte passa sede crônica. Além da fonte, é importante oferecer ao gato alimentos úmidos para que ocorra a ingestão adequada de água, que é de 100 mL para cada quilo do animal por dia.

4. Permita que ele escale
Os gatos são "arborícolas", o que significa, no caso dos bichanos que temos em casa, que ele gostam de escalar árvores, móveis e qualquer coisa que permita que fiquem no alto. É muito importante ter em casa lugares altos para ele subir, caminhar, tomar banho e às vezes até comer. Por outro lado, tentar impedi-los de subir na mobília os deixará frustrados.

5. Ofereça a ele um bom arranhador
Arranhar é uma necessidade para os felinos, pois serve para manutenção das garras e para marcação visual e olfativa de território. O gato precisa arranhar e não deve ser punido por arranhar a mobília. Ele precisa de um arranhador alto, pesado e que desfie, à semelhança de uma árvore. O arranhador deve ser posicionado em um local de grande movimentação na casa. É onde ele quer deixar a marca dele.

6. Não deixe sozinho
O gato é um animal social e precisa de companhia — e não só de humanos. O humano interage, mas não atende todas as suas necessidades. O gato precisa da lambedura mútua, da esfregação mútua. Até a brincadeira entre dois gatos é diferente.

Como eles não gostam de sair do seu território, o ideal é ter pelo menos dois gatos em casa — e é importante que eles sejam amigos. Gatos que se gostam se lambem, se esfregam e tiram pelo menos um dos cochilos diários juntos, bem encostadinhos. Caso isso não aconteça, a convivência entre eles pode ser estressante e os animais podem precisar passar por terapia comportamental.

7. Brinque com ele
Gatos gostam — e muito — de brincar, principalmente de caçar, que é uma brincadeira ativa em que o gato tem seu interesse despertado por uma presa. É importante que as pessoas brinquem com seus gatos e não esperem que eles brinquem sozinhos com brinquedos. O ideal é fazer com que o gato persiga algo — pode ser até uma luz de laser — durante cerca de 15 minutos todos os dias.

8. Evite os banhos
Com exceção de algumas raças de pelo longo e braquicefálicas, que não conseguem se limpar devido à anatomia, gatos não tomam banho, eles são autolimpantes. O uso de xampus e outros produtos descaracterizam os gatos, que são muito ligados ao olfato, e a tendência é que o gato se lamba logo após o banho para tentar tirar o cheiro do produto de si.

9. Leve-o para um check-up anual
Gatos comumente sofrem com problemas renais. Por isso, mesmo que eles aparentem estar saudáveis, é importante levá-los ao veterinário uma vez por ano para um check-up, aproveitando a oportunidade para fazer uma limpeza nos dentes do bicho. Além disso, se o tutor observar qualquer mudança no comportamento ou nos hábitos do animal, a ida ao veterinário também é recomendada.

Fonte: Viver Bem Animal

Curtinhas

ATENÇÃO - Mudamos de endereço para:

 

Nova Sede do CRMV-MT

 

Rua Choffi, n°. 178, Bairro Santa Rosa

CEP: 78.040-085    -   Cuiabá-MT

(Ponto de referência: atrás do Hipermercado Extra / Santa Rosa)

 

Horário de Atendimento de segunda a sexta-feira:

08:00 – 12:00 horas / 13:00 – 17:00 horas

Fechado para almoço das 12:00 às 13:00 horas

  CRMV-MT © 2013

  Rua Choffi, nº178 - Santa Rosa
  Cuiabá-MT / CEP 78.040-085
  Fone/Fax: (65) 3634-4351 / 5800